Nova York - Dicas e Passeios - Parte 1

  • segunda-feira, 30 de março de 2015
  • |
  • 20:38


A coisa que eu mais gosto no mundo é viajar, e a viagem mais incrível que já fiz em toda a vida com certeza foi à Nova York, em minha lua de mel.

Ir pra lá era um sonho meu e do Ju há muito tempo, e conseguimos realizá-lo em Outubro/2013. Antes de ir, porém, fizemos muitas e muitas pesquisas em blogs e sites, pois como fomos sem guia turístico, tínhamos que fazer valer cada segundo da viagem e conhecer os principais pontos turísticos em 7 dias sozinhos.

Então, procuramos os lugares que mais gostaríamos de conhecer e anotamos tudo, depois, através do Google Maps, fomos analisando os lugares que eram perto uns dos outros para podermos visitá-los no mesmo dia.

Montamos nosso roteiro, incluindo também alguns restaurantes que tínhamos vontade de conhecer.

Nesses sites que pesquisamos, descobrimos muitas coisas legais que ajudaram a nos virar pela cidade e, antes de mostrar os passeios mais legais que fizemos, quero contar pra vocês algumas dicas de como funcionam as coisas por lá.


Nos Estados Unidos de uma forma geral, é muito comum (quase uma obrigação) dar gorjetas ou tips, como se diz por lá. Deixar de dar essa contribuição é como se você falasse que o serviço foi horrível ou sinal de falta de educação. Normalmente a "taxa" é de 20% do valor da conta. Alguns restaurantes já incluem algumas opções de valor do tips (pra você escolher de acordo com sua satisfação) e outros chegam até a incluir no valor final da conta. Isso inclui táxi, carregador de malas, camareira (deixe toda manhã no criado mudo do quarto do hotel algo em torno de $2 a $3), garçom, etc. Em restaurantes Fast Food ou carrinhos de rua não é necessário.


A escolha do hotel é algo importante, bem como sua localização. Em Nova York você encontrará desde hotéis mais antigos e baratos até os mais luxuosos e caros, tudo depende do quanto você está disposto a pagar e onde quer ficar. Os hotéis fora de Manhattan são mais baratos, mas acredito que não compense muito pelo fato de você ter que gastar com transporte por ficar longe das principais atrações. Nós ficamos em um hotel 3 estrelas chamado The Hotel at Times Square, que para nós foi perfeito. Ele era simples, mas muito aconchegante e ficava perto da Times Square. Dava para fazer muitas coisas a pé. Esse hotel é um dos poucos que oferece café da manhã incluso na diária e é bem farto, com pães, cereais, frutas, iogurtes, sucos, etc.

Nós escolhemos este hotel pelo TripAdvisor, pois lemos muitas pessoas que gostaram pelo custo benefício que ele oferece.


O jeito mais fácil de se locomover por Nova York com certeza é pelo metrô. São muitas linhas que passam uma atrás da outra e se você perdeu o que acabou de passar, logo atrás já vem outro e não precisamos ficar esperando horas. Em poucos minutos você está no lugar que quer. É muito rápido e prático. Como nós usamos muito o metrô, compramos o MetroCard, que é um cartão com tarja magnética e que te dá acesso às catracas do metrô e aos ônibus da cidade. Você faz seu MetroCard em máquinas dentro dos metrôs e pode carregá-lo com um valor qualquer ou com viagens ilimitadas pagando uma quantia exata (em torno de $30 semanal ou $112 mensal). No começo, o mapa das linhas parece um quadro de arte abstrata, mas você vai pegando o jeito. Use o Google Maps no seu celular para saber exatamente qual(is) linha(s) pegar para o seu destino, e o horário exato que vai passar na sua estação.

Para ir do aeroporto ao hotel ou do hotel para o aeroporto a melhor opção é o táxi, que cobra um valor fixo. Clique aqui para ver os preços (Use o Google Tradutor se preferir, pois a página está em inglês, tá bom?).

Mas nunca deixe de andar a pé por lá. A cidade é maravilhosa e você vai descobrir muitas coisas interessantes desbravando-a. Não tenha medo de gastar a sola dos sapatos.


A parte 2 do post você encontra AQUI.
Comente!

COMENTÁRIOS

0 comentários

Postar um comentário